• mar04

    Lançamento: “Batalhas Morais: política identitária na esfera pública técnico-midiatizada”

    Em Batalhas morais, Richard Miskolci analisa como demandas de justiça social alcançaram centralidade na vida política brasileira, desencadeando uma onda autoritária e anti-intelectual que ainda nos engolfa.

    Miskolci define a esfera pública atual como técnico-midiatizada por se materializar na confluência entre sua moldagem pelas novas tecnologias e pela midiatização e mercantilização da política. Contexto este que incentiva leituras individualistas e morais de problemas coletivos, criando, do lado conservador, empreendedores morais e, do lado progressista, empreendedores de si.

    Essa nova esfera pública incentiva a recusa aos mediadores sociais: instituições como a ciência, o jornalismo profissional e a justiça, assim como os profissionais que nelas trabalham. Miskolci analisa, então, o ataque aos mediadores sociais por meio da forma como a universidade e seus especialistas em gênero e sexualidade descobriram-se no fogo cruzado entre os empreendedores morais de um lado e as milícias identitárias de outro.

    Desigualdades históricas e estruturais deixaram de ser tratadas no registro do direito e da saúde pública em favor de um enquadramento moral benéfico à extrema-direita e no qual ambos os exércitos contribuíram para o fortalecimento do autoritarismo e para o ataque aos intelectuais acadêmicos, empobrecendo o debate público.

    Este livro lança luz, portanto, no repertório de ação e vocabular tanto dos empreendedores morais e sua cruzada contra o que batizaram de “ideologia de gênero” quanto dos ativismos identitários com seus escrachos e cancelamentos justificados pela novilíngua de “local de fala”, “experiência” e “cisgeneridade”.

    Miskolci discute aqui questões centrais na sociedade brasileira contemporânea, oferecendo uma reflexão crítica sobre as disputas políticas que têm moldado nosso presente.

     

    Produto de uma tese de titularidade apresentada à UNIFESP, o livro de Richard Miskolci atravessa as fronteiras entre o texto acadêmico, o ensaio e o memorial, sem prejuízo do rigor científico. Além de articular pesquisas desenvolvidas pelo autor ao longo da sua trajetória, o texto traz reflexões sobre o campo de estudos de gênero e suas transformações ao longo de uma década. No entanto, possui a qualidade rara de enxergar além do horizonte desse campo de estudos e, ao analisá-lo, examinar também uma década de profundas transformações na sociedade brasileira. De escrita fluida e acessível, o trabalho convida estudantes, professores e ativistas a fazer uma pergunta fundamental: como desejamos nos relacionar uns com os outros, com nossas diferenças e discordâncias?

     

    Bila Sorj

    Professora Titular de Sociologia da UFRJ

    Brilhante como sempre, polêmica como nunca, eis a nova contribuição de Richard Miskolci para a Série Cadernos da Diversidade.
    Publicada desde 2008, pela Editora Autêntica, a Série vem trazendo títulos que discutem temas atuais e cuja relevância se deslocou para o centro dos debates, na última década.
    Batalhas Morais instiga o pensamento acadêmico a se posicionar autonomamente, ainda que sob a artilharia do “politicamente correto”, da “cultura do cancelamento” e das “milícias identitárias” que se constituíram a partir do próprio ambiente progressista ou não conservador.
    Para Miskolci, o lugar de fala não pode, por si só, se opor e até se sobrepor ao constructo crítico da elaboração teórica-acadêmica, atacando cruelmente, com o auxílio das redes sociais, pessoas que dedicaram vidas inteiras à reflexão universitária de tais temas. Pior: pessoas essas que sempre apoiaram as causas e a militância de seus futuros detratores!
    Um livro que assume posição. Que merece ser lido. E que, pelo bem e pelo mal, será,sim, objeto (e alvo) de críticas.
    Como coordenadora da Série, afirmo que publicá-lo é uma aposta na coragem.
    E, com o perdão do trocadilho com o nome da Editora, acrescento: fazemos aqui uma aposta no pensamento autêntico.

    Keila Deslandes
    Coordenadora da Série Cadernos da Diversidade

    Richard Miskolci é Professor Titular de Sociologia da UNIFESP, pesquisador do CNPq e coordenador do Quereres – Núcleo de Pesquisa em Diferenças, Direitos Humanos e Saúde. Doutor em Sociologia pela USP, foi pesquisador visitante na Universidade da Califórnia e na Universidade de Michigan. Autor de diversos livros e artigos, publicou também pela Autêntica Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças (2012) e Desejos digitais: uma análise sociológica da busca por parceiros on-line (2017). Atualmente, pesquisa as consequências políticas e de saúde causadas pelo uso das plataformas de rede social.

  • out05

    Entrevista com Richard Miskolci sobre “Do desvio às diferenças” (2005)

    Richard Miskolci concedeu entrevista a Daniel Canavese (UFRGS) sobre seu artigo “Do desvio às diferenças” (2005) em um PodCast.

    Abaixo é possível acessar a versão transcrita da entrevista:

    EntrevistaPodCast-RichardMiskolci

  • set29

    “A esfera pública técnico-midiatizada” está online

    Está disponível online a palestra “A esfera pública técnico-midiatizada” de Richard Miskolci.

    Baseada no primeiro capítulo de sua tese de titularidade defendida na UNIFESP em junho de 2020, a palestra abriu o ciclo Diferenças e Conflitos nas Redes Sociais (UFSM), organizada por Fernando Balieiro.

    Apresentada no dia 24/09/20, está disponível no YouTube.

    Clique abaixo para assistir a conferência de Miskolci:

  • ago21

    Pesquisadores discutem a PrEP e o desafio da equidade

    Em carta publicada na revista Saúde & Transformação Social, os pesquisadores Mauricio Polidoro, Bruno Kauss, Richard Miskolci e Daniel Canavese discutem a forma como a terapia pré-exposição ao HIV tem sido implementada no Brasil.

    Dentro de uma perspectiva de prevenção combinada, a proposta inicial era atingir os segmentos mais vulneráveis. A pesquisa indica que a terapia tem atingido grupos privilegiados, de classe media e alta dos grandes centros urbanos. Além disso, convida à reflexão sobre o desafio que é associar às outras estratégias preventivas uma que tende à “individualização”.

    A carta está disponível online no v.11 n.1 da revista e também aqui

  • jul14

    Carta sobre a saúde LGBTI+ e a pandemia de Covid-19 na revista Sexualities

    Richard Miskolci e Pedro Paulo Gomes Pereira escreveram com Marcos Signorelli, Rodrigo Moretti, Daniel Canavese e Mauricio Polidoro uma carta sobre as especificidades de saúde da população LGBTI+ durante a pandemia de Covid-19. O documento foi publicado na revista “Sexualities”, reconhecida publicação internacional da área.

    Os autores chamam a atenção para diversos pontos, como a falta de diretrizes dos sistemas de saúde da maioria dos países latino-americanos na coleta e monitoração de dados epidemiológicos sobre este segmento assim como a promoção de serviços sem discriminação e estigma.

    A carta-artigo está disponível (para quem tem acesso às publicações da Sage) no endereço: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1363460720942016

  • jun17

    Coordenador do Quereres defende Titularidade

    Na manhã do dia 17 de junho de 2020, o Prof. Dr. Richard Miskolci defendeu titularidade na UNIFESP.

    Além do memorial, Miskolci também defendeu a tese “Ideologia de gênero: a cruzada moral na esfera pública técnico-midiatizada”.

    A Comissão Especial de Avaliação considerou, por unanimidade, o candidato aprovado para promoção à Classe E, com denominação Professor Titular, da carreira do magistério superior da Universidade Federal de São Paulo.

    A tese será publicada em breve pela Autêntica.

     

    Professor Richard Miskolci promovido a Professor Titular da UNIFESP.

    Comissão Especial de Avaliação para Promoção a Professor Titular – UNIFESP – 17/06/20

  • maio03

    Richard Miskolci analisa o medo da pandemia de COVID-19

    O coordenador do Quereres analisa o medo da pandemia como uma questão sociológica em post publicado na coluna Pandemia, Cultura e Sociedade do blog da Biblioteca Virtual do Pensamento Social. Para acessar o texto clique aqui

  • abr23

    ABRASCO divulga nota sobre saúde da população LGBTI+ durante a pandemia de COVID 19

    O GT Saúde da População LGBTI+ da ABRASCO tem acompanhado as formas de enfrentamento da pandemia pelo mundo e reconheceu iniciativas governamentais em diversas regiões, como a União Europeia, e países, como a Argentina, envolvendo as características desse segmento populacional.

    No Brasil, no entanto, nenhuma medida específica foi tomada pelo governo federal. Assim, o GT redigiu nota técnica enviada à diretoria da Associação Brasileira de Saúde Coletiva. A diretoria prontamente acolheu a demanda de comunicar as autoridades, os especialistas e a sociedade brasileira sobre o silêncio e inação em relação a população LGBTI+ no contexto de emergência de saúde.

    Acesse a nota da ABRASCO com as medidas propostas para lidar com as especificidades de saúde da população LGBTI+ durante a pandemia do SARS-COV 2:

     

  • mar18

    Artigo analisa como a AIDS mudou o desejo homossexual

    Artigo recém-publicado na revista Ciência & Saúde Coletiva analisa a transformação na economia do desejo homossexual causada pelo impacto cultural da epidemia de AIDS.

    O texto resulta da pesquisa de mestrado de João Paulo Ferreira, orientada por Richard Miskolci. Juntos sintetizaram os achados da dissertação comparando os anúncios de busca de parceiros da virada entre os anos 1970 e início dos anos oitenta no jornal O Lampião da Esquina aos publicados contemporaneamente em um aplicativo de busca de parceiros do mesmo sexo.

    Leia o artigo no Scielo clicando aqui

  • jan25

    Pesquisadorxs analisam resolução do CFM sobre cuidado das pessoas trans

    Especialistas analisam a resolução 2.265, de 20/09/19, do Conselho Federal de Medicina, publicada em 09 de janeiro de 2020 referente ao cuidado de pessoas trans: ANÁLISE DA RESOLUÇÃO 2265