• abr15

    Artigos sintetizam resultados da pesquisa sobre percepções de profissionais de saúde

    Os resultados da pesquisa Percepções de Profissionais de Saúde sobre Direitos Sexuais e Reprodutivos na Cidade de São Paulo coordenada pelo Prof. Dr. Richard Miskolci saíram em artigos publicados recentemente na Sexuality Research and Social Policy e na Revista Sociedade e Estado.
    A partir da análise das entrevistas feitas com especialistas das regionais de saúde e com gerentes, médicos/as, enfermeiros/as e técnicos/auxliares de enfermagem, o primeiro artigo analisa as relações entre o perfil sociodemográfico dos profissionais e suas percepções sobre demandas de saúde de mulheres e pessoas LGBTI+ e o outro identifica e discute o regime de visibilidade que delimita o acesso dessa população à atenção básica.
    A investigação foi financiada pela FAPESP (Proc. 2018/09642-9) e aprovada pelos comitês de ética em pesquisa da UNIFESP e da Secretaria Municipal da Saúde (Proc. 92186618.3.3001.0086/Parecer 4.842.078).
    Os artigos foram redigidos com o Prof. Dr. Pedro Paulo Gomes Pereira, também docente do PPGSC da UNIFESP e coordenador do Quereres – Núcleo de Pesquisa em Diferenças, Direitos Humanos e Saúde.
    Os textos podem ser acessado pelos seguintes links:

    Sexual and Reproductive Health and Rights: Sociodemographic Profile of Primary Healthcare Professionals in the City of São Paulo and Their Perceptions on the Issue

    Between visibility and listening: access of the LGBTI+ population to primary healthcare

  • dez10

    Entrevista com Richard Miskolci no jornal Extra Classe

    Miskolci foi entrevistado sobre questões de diferenças na sociedade brasileira contemporânea tocando em pontos polêmicos como linguagem neutra e o autoritarismo nos embates sobre igualdade. Para ler a entrevista clique aqui.

  • dez09

    Publicado na cadernos pagu artigo sobre mães de usuários de crack

    Foi publicado na revista cadernos pagu artigo escrito por Odilon Castro, Pedro Paulo Gomes Pereira e Richard Miskolci que apresenta parte dos resultados de pesquisa etnográfica que acompanhou famílias de usuários de crack de 2013 a 2017. O texto busca descrever dilemas e manejos das mães frente ao que lhes é ofertado como tratamento para dependência química de seus filhos. A partir dos acontecimentos vivenciados, das ações diante das diversas terapêuticas propostas e das narrativas familiares, o artigo busca seguir os caminhos elegidos pelas interlocutoras e se direciona para as experiências das mães no Programa Recomeço, a plataforma da política de drogas do Estado de São Paulo.

    O artigo está disponível online (em português e inglês) no Scielo. Para acessá-lo clique aqui

  • mar04

    Lançamento: “Batalhas Morais: política identitária na esfera pública técnico-midiatizada”

    Em Batalhas morais, Richard Miskolci analisa como demandas de justiça social alcançaram centralidade na vida política brasileira, desencadeando uma onda autoritária e anti-intelectual que ainda nos engolfa.

    Miskolci define a esfera pública atual como técnico-midiatizada por se materializar na confluência entre sua moldagem pelas novas tecnologias e pela midiatização e mercantilização da política. Contexto este que incentiva leituras individualistas e morais de problemas coletivos, criando, do lado conservador, empreendedores morais e, do lado progressista, empreendedores de si.

    Essa nova esfera pública incentiva a recusa aos mediadores sociais: instituições como a ciência, o jornalismo profissional e a justiça, assim como os profissionais que nelas trabalham. Miskolci analisa, então, o ataque aos mediadores sociais por meio da forma como a universidade e seus especialistas em gênero e sexualidade descobriram-se no fogo cruzado entre os empreendedores morais de um lado e as milícias identitárias de outro.

    Desigualdades históricas e estruturais deixaram de ser tratadas no registro do direito e da saúde pública em favor de um enquadramento moral benéfico à extrema-direita e no qual ambos os exércitos contribuíram para o fortalecimento do autoritarismo e para o ataque aos intelectuais acadêmicos, empobrecendo o debate público.

    Este livro lança luz, portanto, no repertório de ação e vocabular tanto dos empreendedores morais e sua cruzada contra o que batizaram de “ideologia de gênero” quanto dos ativismos identitários com seus escrachos e cancelamentos justificados pela novilíngua de “local de fala”, “experiência” e “cisgeneridade”.

    Miskolci discute aqui questões centrais na sociedade brasileira contemporânea, oferecendo uma reflexão crítica sobre as disputas políticas que têm moldado nosso presente.

     

    Produto de uma tese de titularidade apresentada à UNIFESP, o livro de Richard Miskolci atravessa as fronteiras entre o texto acadêmico, o ensaio e o memorial, sem prejuízo do rigor científico. Além de articular pesquisas desenvolvidas pelo autor ao longo da sua trajetória, o texto traz reflexões sobre o campo de estudos de gênero e suas transformações ao longo de uma década. No entanto, possui a qualidade rara de enxergar além do horizonte desse campo de estudos e, ao analisá-lo, examinar também uma década de profundas transformações na sociedade brasileira. De escrita fluida e acessível, o trabalho convida estudantes, professores e ativistas a fazer uma pergunta fundamental: como desejamos nos relacionar uns com os outros, com nossas diferenças e discordâncias?

     

    Bila Sorj

    Professora Titular de Sociologia da UFRJ

    Brilhante como sempre, polêmica como nunca, eis a nova contribuição de Richard Miskolci para a Série Cadernos da Diversidade.
    Publicada desde 2008, pela Editora Autêntica, a Série vem trazendo títulos que discutem temas atuais e cuja relevância se deslocou para o centro dos debates, na última década.
    Batalhas Morais instiga o pensamento acadêmico a se posicionar autonomamente, ainda que sob a artilharia do “politicamente correto”, da “cultura do cancelamento” e das “milícias identitárias” que se constituíram a partir do próprio ambiente progressista ou não conservador.
    Para Miskolci, o lugar de fala não pode, por si só, se opor e até se sobrepor ao constructo crítico da elaboração teórica-acadêmica, atacando cruelmente, com o auxílio das redes sociais, pessoas que dedicaram vidas inteiras à reflexão universitária de tais temas. Pior: pessoas essas que sempre apoiaram as causas e a militância de seus futuros detratores!
    Um livro que assume posição. Que merece ser lido. E que, pelo bem e pelo mal, será,sim, objeto (e alvo) de críticas.
    Como coordenadora da Série, afirmo que publicá-lo é uma aposta na coragem.
    E, com o perdão do trocadilho com o nome da Editora, acrescento: fazemos aqui uma aposta no pensamento autêntico.

    Keila Deslandes
    Coordenadora da Série Cadernos da Diversidade

    Richard Miskolci é Professor Titular de Sociologia da UNIFESP, pesquisador do CNPq e coordenador do Quereres – Núcleo de Pesquisa em Diferenças, Direitos Humanos e Saúde. Doutor em Sociologia pela USP, foi pesquisador visitante na Universidade da Califórnia e na Universidade de Michigan. Autor de diversos livros e artigos, publicou também pela Autêntica Teoria Queer: um aprendizado pelas diferenças (2012) e Desejos digitais: uma análise sociológica da busca por parceiros on-line (2017). Atualmente, pesquisa as consequências políticas e de saúde causadas pelo uso das plataformas de rede social.

  • out05

    Entrevista com Richard Miskolci sobre “Do desvio às diferenças” (2005)

    Richard Miskolci concedeu entrevista a Daniel Canavese (UFRGS) sobre seu artigo “Do desvio às diferenças” (2005) em um PodCast.

    Abaixo é possível acessar a versão transcrita da entrevista:

    EntrevistaPodCast-RichardMiskolci

  • set29

    “A esfera pública técnico-midiatizada” está online

    Está disponível online a palestra “A esfera pública técnico-midiatizada” de Richard Miskolci.

    Baseada no primeiro capítulo de sua tese de titularidade defendida na UNIFESP em junho de 2020, a palestra abriu o ciclo Diferenças e Conflitos nas Redes Sociais (UFSM), organizada por Fernando Balieiro.

    Apresentada no dia 24/09/20, está disponível no YouTube.

    Clique abaixo para assistir a conferência de Miskolci:

  • ago21

    Pesquisadores discutem a PrEP e o desafio da equidade

    Em carta publicada na revista Saúde & Transformação Social, os pesquisadores Mauricio Polidoro, Bruno Kauss, Richard Miskolci e Daniel Canavese discutem a forma como a terapia pré-exposição ao HIV tem sido implementada no Brasil.

    Dentro de uma perspectiva de prevenção combinada, a proposta inicial era atingir os segmentos mais vulneráveis. A pesquisa indica que a terapia tem atingido grupos privilegiados, de classe media e alta dos grandes centros urbanos. Além disso, convida à reflexão sobre o desafio que é associar às outras estratégias preventivas uma que tende à “individualização”.

    A carta está disponível online no v.11 n.1 da revista e também aqui

  • jul14

    Carta sobre a saúde LGBTI+ e a pandemia de Covid-19 na revista Sexualities

    Richard Miskolci e Pedro Paulo Gomes Pereira escreveram com Marcos Signorelli, Rodrigo Moretti, Daniel Canavese e Mauricio Polidoro uma carta sobre as especificidades de saúde da população LGBTI+ durante a pandemia de Covid-19. O documento foi publicado na revista “Sexualities”, reconhecida publicação internacional da área.

    Os autores chamam a atenção para diversos pontos, como a falta de diretrizes dos sistemas de saúde da maioria dos países latino-americanos na coleta e monitoração de dados epidemiológicos sobre este segmento assim como a promoção de serviços sem discriminação e estigma.

    A carta-artigo está disponível (para quem tem acesso às publicações da Sage) no endereço: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1363460720942016

  • jun17

    Coordenador do Quereres defende Titularidade

    Na manhã do dia 17 de junho de 2020, o Prof. Dr. Richard Miskolci defendeu titularidade na UNIFESP.

    Além do memorial, Miskolci também defendeu a tese “Ideologia de gênero: a cruzada moral na esfera pública técnico-midiatizada”.

    A Comissão Especial de Avaliação considerou, por unanimidade, o candidato aprovado para promoção à Classe E, com denominação Professor Titular, da carreira do magistério superior da Universidade Federal de São Paulo.

    A tese será publicada em breve pela Autêntica.

     

    Professor Richard Miskolci promovido a Professor Titular da UNIFESP.

    Comissão Especial de Avaliação para Promoção a Professor Titular – UNIFESP – 17/06/20

  • maio03

    Richard Miskolci analisa o medo da pandemia de COVID-19

    O coordenador do Quereres analisa o medo da pandemia como uma questão sociológica em artigo publicado na revista Sociologia & Antropologia (UFRJ). Para acessar o texto clique aqui